Transição de síndico: como fazer esse processo e evitar dor de cabeça?


Quando o antigo síndico não pode cumprir o processo de transição ou quando ele é retirado do cargo, seguir as leis é essencial para garantir que tudo ocorra conforme o planejado.

transição de síndico
Toda transição é delicada, seja a troca de direção e gerência de uma empresa, a transição de um governo para outro após as eleições e até mesmo a transição de síndico em um condomínio.

É de conhecimento de todos a importância de ter um síndico de condomínio, afinal, essa é a pessoa responsável pela gestão do local, manter o funcionamento e deixar os moradores satisfeitos.

No entanto, é possível que exista a transição de síndico em duas situações: quando termina o mandato e é realizada uma nova eleição, ou quando o síndico deixa de cumprir as funções que deveria.

Leia também: Destituição de Síndico: o que diz a Lei?

Existe um protocolo para cada uma das situações, na primeira delas, é necessário que o síndico acompanhe e cumpra o processo de transição, repassando documentos e informações ao seu sucessor.

No último caso, é necessário escolher outra pessoa para assumir esse papel e a mudança deve ser formalizada e seguir uma série de regras para que nada dê errado na transição.

Quando o antigo síndico não pode cumprir o processo de transição ou quando ele é retirado do cargo, seguir as leis é essencial para garantir que tudo ocorra conforme o planejado. Confira a seguir um passo a passo para trocar a gestão de condomínios.
 

Em caso de destituição do síndico, recolha as provas

Alguns moradores apresentaram queixas, reclamações recorrentes, mas lembre-se que não é possível substituir um síndico sem motivos.

É necessário uma razão e provas concretas de que o síndico fez uma má gestão e prejudicou o funcionamento do condomínio.

Confira os documentos necessários
Ao fazer a transição de síndico, é preciso separar alguns documentos que não podem faltar nesse processo.

Esses são os documentos necessários para dar andamento ao processo de transição de síndico.

– Controle de ponto dos funcionários;
– Atas de assembleias;
– Livro de inspeções de trabalho;
– Plantas do local;
– Contratos vigentes;
– Certificados;
– Notas fiscais de serviços contratados e produtos adquiridos;
– Laudos;
– Prestações de contas;
– Cartão de CNPJ;
– Apólices de seguro;
– Comprovante de pagamento de impostos.

Lembre-se que esses são os documentos essenciais e que todo o condomínio deve ter registro, no entanto, é possível que o seu condomínio possua outros documentos importantes a serem apresentados.
 

Protocole e conteste tudo

Durante a transição de síndico, é preciso estar seguro que não será efetuada a cobrança de nenhum documento devolvido. Liste os papéis, constando a assinatura comprobatória da entrega.

Se algum documento apresentar erro, a documentação deve ser contestada e analisada com cuidado, considerando principalmente se os valores batem.

Caso haja alguma inconsistência, chame o síndico e tente comprovar a má-fé.

Na hora de fazer a transição de síndico, tente conversar e solucionar a situação de forma tranquila e sem tanta burocracia. Quanto antes tudo for resolvido, melhor será para os moradores, assim como o ex e o atual síndico.